Terça-feira, 21 de Abril de 2009

É verdade que já há algum tempo que não ponho nada, mas o que é que querem, também tenho que aproveitar isto, e além disso o meu rato também anda um bocado marado.
Se tenho histórias? Claro que sim.
Ainda aqui há uns tempos fizemos uma viagem a Budapeste com dois objectivos, participar na Sparty (festa feita num antigo spa ou termas ou lá o que era aquilo) e conhecer a cidade que é sim senhora uma cidade sim senhora.
A história passa-se inevitavelmente na festa do spa, e em que é que consiste esta festa? Basicamente são centenas de pessoas de calção e biquíni bem regadas a tentar dançar e a fazer coisas curiosas na piscina. Até aqui tudo bem, agora o que sucede é que já perto do fim andava eu a praticar a minha natação ao longo da piscina em jeito de relaxamento quando sou surpreendido por um sujeito que tenta falar comigo mas apenas se consegue rir e apontar para o meu ombro, ao principio não percebi e tentei aproximar-me dele para  perceber melhor o problema, mal ele se apercebe que eu me movimentava na sua direcção grita a todos os pulmões – SHIT!, e aponta mais uma vez para o meu ombro. Confesso que achei aquilo muito estranho, mas a minha atitude foi, e ainda hoje me arrependo disso, olhar para o meu ombro. Ora bem, o que sucedia era que tinha um cagalhão (de dimensões consideráveis!) colado ao ombro. Ao principio pareceu-me um estojo daqueles de pele que eram sempre todos cheiinhos de lápis e não liguei, mas depois reflecti um bocadinho e não era possível estar na presença de um estojo desses, foi então que tudo se fez claro na minha cabeça. Algum cabrão tinha cagado na piscina, e peço desculpa por dizer cabrão mas não consigo encontrar outra palavra que o defina tão bem. Para os curiosos, a sensação de ter um cagalhão colado ao ombro até nem é assim tão má, é um quentinho agradável. Mas saber que é um cagalhão estraga tudo, e de certa maneira até entristece.
O mais desagradável foi sem dúvida ter que o descolar, só saindo após vários movimentos bruscos contra a água, o que despertou a atenção de algumas moças que me fizeram o olhar mais arrepiante que já vi.
De uma coisa fiquei certo para toda a vida, se tiveres um cagalhão colado num ombro nunca vais conseguir ter sucesso com uma rapariga, seja ela quem for e seja ele que cagalhão for.
O chato disto é que minha pele nessa zona nunca mais vai ser a mesma, nas primeiras semanas para além da dor cresceram uns estranhos fungos que ainda não me consegui livrar deles, e sempre que visto uma t-shirt ela ainda não me assenta bem.
O que é que posso dizer mais? O cocó segue-me.
 



publicado por AntonioMarto às 15:02 | link do post

De Pequenina* a 1 de Maio de 2009 às 21:45
Como fico feliz em nao ter ido a SHPARTY quando pude ir...lamento, mas acho que tens tido acontecimentos com dejetos humanos mais vezes q o normal, ora no autocarro por causa do outro q n conseguiu aguentar ate casa e agora na sparty

coitadinhu rapaz!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

Shparty

De bolso?

O que levamos.

Coisas que acontecem

Com uma sandes mista no b...

Feliz Natal amigo.

Até já

O titulo é este.

Let's party!

O macaco na coluna.

arquivos

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

links
blogs SAPO
Brno